Turismo na terceira idade movimenta o setor hoteleiro

A segmentação do mercado visando pessoas acima dos 60 anos cria novo modelo organizacional de hotéis

Em termos gerais, a maioria das pessoas ainda entende que a terceira idade, considerada a partir dos 65 anos, significa conviver com inúmeros problemas de saúde e limitações quanto ao deslocamento de um lugar para outro, associando a passagem dos anos com acúmulo de doenças, mas tais conceitos estão superados e a segmentação hoteleira para esse público cresce a cada ano.

As atuais pesquisas comprovam que o processo natural de envelhecimento não é um fator impeditivo para a maioria das atividades cotidianas de um adulto de qualquer idade.

Análises demográficas da Organização das Nações Unidas (ONU) têm apontado a tendência de envelhecimento da população mundial e as projeções para o Brasil – sempre considerado como um país de jovens – indicam que, em 2050, o percentual de pessoas com sessenta anos ou mais atingirá 23% da população total, representando significativo acréscimo em relação aos 9% atuais.

Em um cenário que mostra o turismo como uma das atividades econômicas de maior crescimento no mundo, com tendência muito forte a intensificar progressivamente sua representatividade no mercado global, todas essas organizações, por menores que sejam, passam a necessitar de um eficiente gerenciamento mercadológico de suas atividades para se manterem competitivas, pois novos destinos ganham destaque no mapa turístico mundial, exigindo iniciativas e decisões ágeis e certas.

De acordo com dados da Secretaria de Turismo do Estado da Bahia, a participação da Bahia no fluxo doméstico do Brasil é de 8,3%, ficando em quarto lugar no ranking dos estados que mais recebem turistas no país, atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Os estudos apontam ainda que os turistas com mais de 60 anos correspondem a 10,5% desse total, o que representa um aumento de 100% em relação ao ano de 2008.

Em Ilhéus, terceira cidade mais visitada do estado, com 4,3% do fluxo doméstico dos destinos, a rede hoteleira já está se preparando para receber esse público. De acordo com Flávio Lemos, gerente do hotel Aldeia da Praia, “para melhor atender este tipo de turista os hotéis precisam facilitar a acessibilidade, investir no receptivo e desenvolver atividades recreativas, pois ao contrário do que se pensa, é um publico muito ativo e não procura somente praia em suas viagens. Ilhéus tem potencial para atender as expectativas deste tipo de turista, que procura a nossa cidade em busca de um turismo cultural e conhecer as histórias de Jorge Amado”, destaca.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *