Solidariedade e fraternidade no socorro aos desabrigados de Itabuna

solidariedade.jpg

As leis de Isaac Newton nos ensinam que “a toda ação há sempre uma reação oposta e de igual intensidade”. Mesmo sabendo que este princípio se refere à interação física entre dois corpos distintos na Física, a comunidade de Itabuna bem que pode se apropriar dele para traduzir em palavras aquilo que somente os gestos mais nobres de solidariedade, fraternidade e amor ao próximo podem expressar.

Têm sido de grande intensidade as manifestações registradas nos últimos dias, quando milhares de itabunenses reagiram aos estragos causados pelas chuvas que caíram em grande volume na cidade deixando pessoas desabrigadas e desalojadas e provocando destruição, sofrimento e desalento para dezenas de famílias que residem em áreas de risco nos bairros São Roque, Caixa d’ Água e Santa Inês, além de Maria Matos (Rua de Palha e Nova Itabuna).

Na Central de Atendimento, Coleta e Distribuição de Donativos, instalado pela Prefeitura de Itabuna, por meio da Coordenação Municipal de Defesa Civil, no Espaço Cultural Josué Brandão, onde também funcionam o Arquivo Público e a Câmara de Vereadores, a todo instante se vê é a chegada de pessoas de todas as idades trazendo roupas, alimentos, água mineral, calçados, utensílios domésticos, dentre outros donativos. Dessa forma, as pessoas exercem o que há de mais belo dentre os sentimentos humanos: a caridade e a fraternidade.

Movido por este sentimento, o empresário Miguel Franklin se deslocou na manhã deste sábado até a Central para fazer a doação de mantimentos para os desabrigados. “Deus nos dá a possibilidade de estar em situação não tão igual e nem tão sofrida quanto a desses nossos irmãos que perderam tudo. Portanto, me sinto na obrigação de amenizar um pouco o sofrimento deles. Pois, quando me transporto para a situação que eles estão enfrentando, tenho a sensação de impotência”, argumentou.

Além das pessoas fazendo a entrega de donativos, outros itabunenses estão doando um pouco do seu tempo e de sua energia para ajudar na coleta e organização das doações. Este é o caso de Nayalla Pires, integrante do Movimento Bandeirantes de Itabuna, que desde sexta-feira, 29, vem atuando como voluntária na Central da Defesa Civil. “É o sentimento de amor ao próximo que me trouxe aqui. O que vimos e ouvimos através dos meios de comunicação e nas redes sociais é muito triste. Eu me sinto muito gratificada em poder ajudar a amenizar um pouco este sofrimento”, disse.

A rede de solidariedade que envolve milhares de pessoas anônimas da sociedade, também está sensibilizando a classe empresarial, clubes de serviços, profissionais liberais e a juventude ligada às diversas denominações religiosas cristãs. Na manhã deste sábado, dentre as centenas de quilos de alimentos doados aos desabrigados, a Coordenação da Defesa Civil recebeu 500 kg de alimentos doados pelas empresas do transporte coletivo urbano, São Miguel e Rio Cachoeira.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *