Sest/Senat sedia aula inaugural de Combate à Drogas em Itabuna

“Itabuna dá um grande salto para o enfrentamento do tráfico e uso de drogas a partir da parceria entre o estado, o município e a sociedade no programa ‘Crack, é Possível Vencer’ do Governo Federal, que já começa a ser executado no município. Vamos trabalhar para o fortalecimento da rede de prevenção contra as drogas e acredito no resultado positivo das ações que começam a ser implantadas”. A declaração é do secretário municipal da Assistência Social, José Carlos Trindade, durante a aula inaugural nesta segunda-feira, 26, do curso para treinar policiais militares e guardas civis municipais que irão atuar diretamente no programa.

A solenidade que antecedeu a aula inaugural aconteceu no auditório do Sest/Senat, quando foram apresentadas as ações que serão desenvolvidas a partir do curso. Trindade se disse otimista com relação ao programa pelo envolvimento dos poderes públicos e da sociedade. “Se perdemos, vamos perder juntos, mas não por falta de apoio. Mas acredito plenamente no sucesso e na disposição e preparo de todos os que vão trabalhar nele”.

O secretário da Assistência Social falou que Itabuna, uma das cidades com maior índice de criminalidade no País, lutou para entrar no Programa “Crack, é Possível Vencer” e informou que a equipe da Secretaria da Assistência Social também já está sendo treinada. Trindade lembrou que o município também já vem trabalhando na promoção à vida, a partir dos centros de Atenção Psicossocial (Caps AD e Infantil) e em outras ações de acesso à cidadania. “Com o reforço que agora chega, com o programa federal, Itabuna avançará muito no controle das drogas”, disse.

O coordenador da 6ª. Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin), delegado da Polícia Civil Evy Paternostro, também está confiante no programa, ao destacar que o enfrentamento às drogas deixa de ser uma ação policial e passa a ser uma questão de saúde pública e de assistência social. “A parceria para a execução do programa vai fortalecer ainda mais a rede de amparo social para o resgate de dependentes químicos e sua reintegração à família e à sociedade”, comentou.

O delegado informou que haverá a integração entre as polícias Civil, Militar e Federal, com ações exclusivas, a exemplo da implantação de bases móveis. “A polícia permanecerá nas cenas de uso, interagindo com a comunidade e ajudando a manter os espaços urbanos seguros”.

O treinamento para os policiais militares e guardas civis municipais será coordenado pelo Capitão PM Evandro Borges, coordenador da Policia Comunitária de Salvador, e contemplará um efetivo de 37 profissionais, incluindo a Guarda Civil Municipal. O oficial explicou que o treinamento terá duração de um mês e vai trabalhar em três eixos: prevenção, cuidado e segurança. Segundo o Capitão PM, as ações do eixo segurança serão desenvolvidas em duas frentes. A primeira, com o policiamento ostensivo e de proximidade nas áreas de concentração de uso de drogas, articuladas com saúde e assistência social.

Repressão a traficantes

Já a segunda, vai organizar as ações para diminuir a presença do uso de drogas na sociedade, buscando a desconstrução da rede de narcotráfico, com atuação integrada das polícias Federal, Rodoviária, Civil e Militar no combate ao tráfico e repressão aos traficantes.

A diretora do Departamento de Proteção Social Especial da SAS, Carla Silveira Midjej que também participou da aula inaugural, falou sobre o papel e as ações desenvolvidas pelos CAPS mantidos pela Prefeitura. Ela também destacou a importância da família no processo de tratamento de dependentes químicos e também na etapa da reinserção social.

A capacitação dos profissionais para o Programa “Crack, é Possível Vencer” está sendo financiado com recursos do Governo Federal, que destinou cerca de R$4 bilhões à sua realização até 2014. Também serão investidos recursos públicos em outras ações de orientação da população, a exemplo do aumento da oferta de tratamento e atenção aos usuários de drogas.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *