Sessão Especial discute “Lei Anticalote” na Câmara de Vereadores de Itabuna

O Plenário Raymundo Lima, da Câmara de Vereadores de Itabuna, contou com a presença de vários trabalhadores e autoridades políticas do Município e do Estado, na tarde desta sexta-feira, 21, durante a Sessão Especial, requerida pelo Vereador Júnior Brandão (PT), sobre a Lei nº 12.949/2014, conhecida como “Lei Anticalote”.

O Plenário Raymundo Lima, da Câmara de Vereadores de Itabuna, contou com a presença de vários trabalhadores e autoridades políticas do Município e do Estado, na tarde desta sexta-feira, 21, durante a Sessão Especial sobre a Lei nº 12.949/2014, conhecida como “Lei Anticalote”. De autoria do vereador Júnior Brandão (PT), a Sessão Especial contou com a participação da deputada estadual e autora da Lei, Maria Del Carmen (PT).

A “Lei Anticalote” estabelece os mecanismos de controle sobre os contratos, dispondo sobre os encargos trabalhistas e previdenciários dos empregados terceirizados do Estado. Assim, a medida preserva os direitos trabalhistas dos funcionários terceirizados de empresas prestadoras de serviço junto ao Estado, evitando, por exemplo, situações em que empresas decretam falência e deixam de cumprir com as obrigações trabalhistas.

Com a Lei nº 12.949/2014, 40 mil funcionários terceirizados de empresas que prestam serviços ao Estado terão os seus direitos trabalhistas garantidos, já que ela institui o provisionamento dos recursos relativos às férias, abono de férias, 13º salário, multa do FGTS por dispensa sem justa causa, bem como a incidência dos encargos previdenciários, sociais e FGTS sobre férias, abono de férias e 13º salário.  Na Bahia, a Lei foi regulamentada no primeiro semestre do ano passado.

Considerando todos esses benefícios gerados ao funcionário terceirizado, Júnior Brandão propõe que Itabuna também implante a “Lei Anticalote”. Para isso, o vereador já protocolou a solicitação junto à Secretaria Parlamentar. “Quando tivemos acesso a Lei, buscamos um contato com a deputada Maria Del Carmen no sentido de adequarmos o projeto para Itabuna, considerando uma situação em que o município venha futuramente a usar empresas terceirizadas para contratar trabalhadores para algumas áreas, como segurança, portaria, escolas, merendeiras e equipe de secretaria. Com a ‘Lei Anticalote’, que vai tramitar na Câmara, haverá maior proteção aos direitos trabalhistas dos terceirizados”, assegurou Júnior Brandão.

Para Maria Del Carmen, caso seja implantada em Itabuna, a Lei estabelecerá condições mais adequadas para os trabalhadores, já que impede que as empresas terceirizadas usem de má fé e apliquem “calotes” aos funcionários no final dos contratos. Isso ocorre porque ela estabelece que o repasse dos pagamentos feito pelo Poder Público seja transferido para uma conta à parte, que somente poderá ser movimentada com a autorização do órgão competente. “Parabenizo o vereador Júnior Brandão por trazer essa iniciativa aqui para o município de Itabuna”, enfatizou a deputada.

Durante a Sessão Especial, os participantes também puderam tirar dúvidas e compreender melhor a aplicação da Lei nº 12.949/2014. Para o funcionário terceirizado Henrique Queiroz, o momento foi de esclarecimentos proveitosos. “Com essa Lei, esperamos que haja uma reviravolta com relação ao tratamento das empresas que contratam os funcionários terceirizados”, declarou. 

Foto Pedro Augusto
ASCOM CMV

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *