PROJETOS SOCIOCULTURAIS MUDA A VIDA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM ITABUNA

Aula de balE na Casa das Artes.jpg

Mudar a rotina de crianças e adolescentes, criar sonhos e incentivar o protagonismo juvenil são objetivos comuns dos projetos socioculturais mantidos pela Prefeitura de Itabuna. Satisfação de mães, sorrisos e mudanças no comportamento dos alunos, com elevação da confiança em si mesmo e da autoestima, são os frutos já colhidos pelos projetos, que juntos atendem mais de cinco mil crianças e adolescentes. O objetivo primordial é a promoção de uma cultura de paz.

Em um projeto conjunto, a Fundação Marimbeta, a Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) e as secretarias de Esporte e Recreação e da Saúde mantêm o programa Viv-a-rte, lançado no final do ano passado, que oferece atividades socioculturais para 3.760 crianças e adolescentes e já no final de junho deve alcançar cinco mil participantes. A Prefeitura de Itabuna investe R$ 72 mil no programa todos os meses. A equipe é composta de 54 educadores sociais, e uma nova seleção já assegura que esse número chegará a 100 até o fim do semestre.

As atividades são oferecidas principalmente nos sítios da Fundação Marimbeta, no Núcleo-Sede Irmã Adelaide e também em 42 pontos de bairros periféricos. As crianças e adolescentes incluídas participam de oficinas de artesanato, música, rádio, fotografia, maquiagem; fazem aulas de dança, capoeira, balé, tênis de mesa, judô e contação de histórias e têm assistência pedagógica, social e jurídica (para a família). Faz parte do programa ainda a criação de uma orquestra, a Orquestra Jovem.

ARTE E CULTURA NA FICC

No âmbito na FICC vários programas são desenvolvido para estimular o interesse pela arte e pela cultura entre adolescentes e jovens de Itabuna. São o Programa de Arte e Cultura em Áreas de Interesse Social (PACAIS), o projeto Agentes de Cultura e a Casa das Artes, que juntos atendem cerca de 1.500 alunos, num investimento de cerca de R$ 100 mil por mês. Em parte dos programas a FICC tem a parceria da Secretaria Municipal de Assistência Social. Os cursos oferecidos são violão, teclado, bateria, instrumentos de sopro, artes digitais, desenho em grafite, desenho & pintura, balé, dança de salão, street dance, teatro e capoeira. Os projetos garantem ainda uma ocupação remunerada para 62 monitores, 40 agentes de cultura e 15 professores, que atuam na sede da Casa das Artes e em diversos bairros de Itabuna.

CIDADE DE PAZ

Em recente cerimônia de inauguração do núcleo-sede do Viv-À-rte, o prefeito Claudevane Leite afirmou que os investimentos nas áreas sociais, culturais e em atividades esportivas são as melhores armas para combater a violência urbana. “A meta é beneficiar 10 mil crianças e adolescentes, principalmente os de famílias mais carentes”, afirmou Vane.

Já o presidente da Marimbeta José Teles Silva Júnior destacou que o protagonismo juvenil é uma das grandes ferramentas para garantir reflexos positivos na vida dos alunos, bem como a política de uma cidade de paz. “Buscamos oferecer um atendimento integral. As artes e o esporte são nosso mecanismo para atrair esses jovens”, disse.

O presidente da FICC Roberto José da Silva destacou que a médio e longo prazo a arte e a cultura vão nortear a cultura de paz e o protagonismo social. “Com os diversos programas promovemos a formação cultural, a cidadania e a redução dos índices de vulnerabilidade e risco social”, afirmou o presidente relatando que muitos jovens que antes não tinha opção encontram agora diversas atividades para participar.

CRESCIMENTO DA AUTOCONFIANÇA

A coordenadora do Viv-a-rte Dayse Santos, que foi abordada recentemente na rua por um aluno ao som do grito de guerra “Eu sou Viv-a-rte. Eu sou sucesso”, explicou que os primeiros resultados já começaram a aparecer na autoconfiança de alunos como esse que a abordou, na melhora do comportamento de muitos outros alunos, na satisfação dos pais e no elogio e reconhecimento de autoridades da área social.

Da mesma maneira analisa o coordenador da Casa das Artes, Tony Coelho, que comentou que o objetivo é disseminar a importância das artes como recurso para integração social. “Alimentar o desejo de uma vida melhor é uma das funções principais da atividade artística. Nesse aspecto, a cultura e suas diversas formas de manifestação são revolucionárias, transformadoras da sociedade, das relações e dos sentimentos humanos”, garantiu.

O Viv-a-rte oferece cursos de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, maiores informações podem ser obtidas pelo telefone da Fundação Marimbeta, 3211-5120. Por sua vez a Casa das Artes funciona de segunda a sexta-feira das 6 as 22 horas, informações podem ser adquiridas na sede do projeto que fica na Travessa doutor Gil Nunesmaia, 22, no Centro.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *