Ministério da Justiça afirma que jihadistas “trarão progresso ao país”

ei

Em tempos de “guerra virtual” no Facebook, qualquer imagem, vídeo ou comentário feito na rede pode se iniciar uma reação em poucos minutos.

Nesta quinta (05), a página oficial do Ministério da Justiça no Face defendeu a vinda de jihadistas ao Brasil “para trazer mais progresso ao nosso país”. Segundo a postagem, eles, “assim como qualquer outro povo de qualquer outra origem”, “merecem respeito” afinal “temos que desconstruir alguns conceitos”.

A campanha do Ministério nas redes com o slogan #EuTambémSouImigrante estimula pessoas a compartilharem suas origens, como foi a vinda de seus antepassados para o Brasil.

Entre os mais de 10 mil comentários, o internauta Heder Duarte fez um alerta: “Imigrantes pacíficos são bem-vindos, já os jihadistas devem ser bloqueados de entrar no Brasil”.

Alguém da equipe do ministro José Eduardo Cardozo responde em nome do Ministério da Justiça, mostrando que ou o PT ignora o que seja jihadismo ou que o discurso de Dilma na ONU ano passado defendendo os terroristas é que estabeleceu essa diretriz.

face

Ao defender os adeptos da jihad, a “guerra santa” que os muçulmanos usam como justificativa para atos de terrorismo e assassinato de judeus e cristãos, o governo petista mostra que não os vê como um perigo. Acostumados a apoiar movimentos de terrorismo nacional, como MST, o MTST, a CUT e a UJS, talvez acreditem que ainda resta algo a ser aprendido.

 

Depois das primeiras reações na internet, com o print da tela virando um meme entre movimentos conservadores, o Ministério da Justiça apagou o comentário. A imensa maioria dos comentários sobre o assunto mostram que existe uma indignação com a irresponsabilidade do governo federal.

Afinal, durante o governo Lula, o Brasil doou 25 milhões de reais para o grupo terrorista Hamas, que controla o território palestino.

A ideia de barrar imigrantes que sejam muçulmanos é corrente em alguns países europeus que estão recebendo milhares de refugiados. Todos que se levantam contra a aceitação indiscriminada são rotulados de “xenófobos” e alguns já foram, inclusive, ameaçados pelos seus governos.

Ao menos 7.000 homens que foram recebidos em abrigos da Alemanha, principal destino dos refugiados, “desapareceram misteriosamente”. Acredita-se que eram   jihadistas que agora andam livremente pelo país.

Recentemente, o Estado Islâmico admitiu que está infiltrando soldados na Europa, aproveitando a falta de controle nas fronteiras. “É nosso sonho que haja um califado não só na Síria, mas no mundo inteiro”, disse um deles a um repórter americano. “E vai ocorrer em breve”.

Fonte: Gospel Prime

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *