Leandro Hassum chora muito ao relembrar do pai: ‘Ensinou até quando errou’

Pai do artista tinha envolvimento com máfia e foi preso por tráfico de drogas

Do Correio24horas

O humorista Leandro Hassum chorou muito no programa "Tamanho Família", da Globo, relembrando do pai. O artista recebeu uma homenagem da familia e se emocionou bastante ao relembrar do pai, que na década de 1990 foi preso por tráfico internacional de drogas e fez parte da máfia italiana.

Apesar dos erros do pai, Hassum disse que sente muita falta dele. Também chorou ainda mais ao contar que não tem nenhuma foto ao lado do pai. "Quando eu estava em São Paulo, filmando, com a família morando fora, a gente fica meio sozinho. Eu precisava dar um abraço no meu pai. E eu fui olhar uma foto e descobri que não tinha nenhuma foto com ele. Eu fiz uma montagem de fotos. Ele foi embora cedo, eu não tinha nenhuma foto com ele. Tem uma hora que só o abraço do nosso pai… Faz falta mesmo", afirmou.

Hassum falou dos "erros e acertos" do pai. "O meu pai, com os erros e acertos dele, e eu falo sempre isso. Todos os homens e mulheres que passarm pela minha vida, com seus erros e acertos, me ajudaram a ser o homem que eu sou. Até quando o meu pai errou, ele me ensinou. Mas tem hora que falta o abraço do pai mesmo".

Ele também se emocionou ao falar da filha e da esposa, relembrando a fase de vacas magras. "Eu e a minha mulher passamos muita dificuldade. Lembro dela com a nossa filha no colo, empurrando o cara para não cortar a luz de casa, porque não tinhamos dinheiro para pagar. Mas quando quando a minha filha sorria pra mim, tinha um vácuo de amor, não lembrava dos problemas".

Pai

Hassum falou mais abertamente sobre a vida criminosa do pai em entrevista a Marília Gabriela, no GNT, há algum tempo. "Em 1994, ele foi preso por tráfico internacional de droga. Meu pai era responsável pelo transporte da droga do Brasil para a Europa e para os Estados Unidos. Fazia parte da máfia italiana. Isso foi na década de 90. Meu pai foi preso no dia 14 de novembro de 1994. Eu não tinha a menor noção. Hoje, eu olho para trás e falo assim: ‘Como é que eu não percebi alguns sinais, como eu não notei isso?’. Éramos de uma família bem sucedida. Meu pai tinha uma empresa de exportação e importação, tinha [empresa] no ramo de papelaria, agência de automóvel. Ele trabalhava com carros importados. Mas era um bonachão como eu", contou o humorista.

Só aos 21 anos de idade Hassum descobriu exatamente o que o pai fazia – justamente quando ele foi preso.  "Eu recebi uma ligação na casa de uma namorada dizendo: ‘Vem pra cá, que o papai foi preso’. Meu chão caiu naquele momento. É uma sensação de que se viveu durante 21 anos em uma mentira. Ele me amou muito e era um grande pai. Tinha na cabeça dele o tráfico como sendo uma profissão. Até a morte disse que não era traficante, mas comerciante. Essa coisa da máfia, de acreditar na verdade. Vendo um produto, podia ser copo, mas era cocaína. Ele foi crescendo no meio disso pela honestidade e correção pela qual trabalhava".

Com o pai preso, Hassum o visitava na cadeia. Depois que o pai saiu da cadeia e acabou preso novamente, por tráfico de drogas, ele desistiu de continuar as visitas. "Aí, com isso, falei ‘chega’. E não fui mais visitá-lo. Em 2007, quando saiu da prisão mais debilitado, ele foi até minha casa no Carnaval e chegamos a um acordo sem relação próxima. Ele morreu em 2014, uma semana depois que eu fiz a cirurgia bariátrica", relembrou.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *