Itabuna reúne 60 participantes em Clínica do Esporte Adaptado

clinica do esporte.jpg

A prática do futsal e do handebol pelos portadores de deficiência constitui os dois primeiros módulos da Clínica do Esporte Adaptado que está sendo realizada pela Secretaria de Esportes e Recreação da Prefeitura de Itabuna em parceria com a Superintendência de Desporto do Estado da Bahia – Sudesb até o meio-dia desta sexta-feira, 22.Pelo menos 60 pessoas, entre professores de educação física e desportistas, participam das aulas praticas e teóricas, na Vila Olímpica de Itabuna, sob a orientação dos professores Ronaldo Cavalcanti Silva e Luiz Machado.

Diante do grande número de pessoas com deficiências no estado, a Federação Baiana do Desporto de Participação está desenvolvendo um projeto de interiorização do paradesporto com o apoio da Sudesb e das prefeituras. “Há deficiência de atletas em competições de esporte adaptado, o que se reflete nos eventos paraolímpicos”, afirma o vice-presidente da entidade, Henrique Carlos Silva. “Nas últimas paraolimpidas em Londres 2012, por exemplo, a equipe brasileira tinha apenas cinco baianos”, resume.

Segundo explicou o dirigente, a Clínica do Esporte Adaptado visa à preparação de quadros de técnicos qualificados para atuar no treinamento de pessoas portadoras de deficiência para o lazer e a prática desportiva, além da inclusão social. A Federação trabalha com as deficiências intelectual, visual auditiva e motor, já que para cada uma dessas deficiências existem esportes apropriados.

“Atualmente, o forte na Bahia no esporte adaptado é o futebol de cinco e a natação, inclusive com a cessão de três atletas de futebol do Instituto de Cegos da Bahia para a seleção brasileira e dois que treinam com a equipe de natação da Sudesb”, informa Henrique Silva. Ele acrescenta que também está se incentivando a prática de modalidades esportivas como futsal, handebol, basquete, natação e atletismo e esportes não-tradicionais como bocha, hóquei sob piso, futebol de cinco e judô para cegos.

O secretário de Esportes e Recreação, Evans Maxwel Silva, considera a Clínica do Esporte Adaptado um evento importante porque permite a formação de técnicos para promover a inclusão, a integração e elevar a auto-estima das pessoas portadoras de deficiência. Ele lembra que a Lei de Diretrizes e Bases da Educação já prevê a inclusão de esportes adaptados para os alunos portadores de deficiência. “Na rede municipal de ensino já há um grande número de alunos que estudam regularmente na sala de aula e necessitam de inclusão”, ressalta.

Evans Maxwel relata que o prefeito Claudevane Leite determinou que durante as obras de reforma, a Vila Olímpica de Itabuna que, este ano completa 33 anos, seja adaptada às necessidades dos portadores de deficiência atletas ou não. “Já construímos quatro conjuntos de banheiros no Estádio Luiz Viana Filho, que também ganhou rampas de acesso e arquibancadas especiais com parapeito”, disse.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *