ITABUNA REFORÇA COMBATE À DENGUE EM 20 BAIRROS COM ALTA INFESTAÇÃO

A Coordenação de Combate às Endemias da Secretaria de Saúde de Itabuna iniciou nesta segunda-feira, 16, o Levantamento de Índice Rápido de Aedes Aegypti (LIRAa) e tratamento em 100% dos imóveis nos bairros com maiores índices de infestação de criadouros do mosquito transmissor de doenças como dengue, Zika Vírus e Chikungunya. As ações estão sendo realizadas em parceria com a Emasa, que avisa previamente os bairros que serão abastecidos com água antes da realização do trabalho pelos agentes comunitários de saúde.

Trabalho de campo no Lomanto Júnior vai abranger todos 2.350 imóveis do bairro - Foto Wilson Oliveira 1
Trabalho de campo no Lomanto Júnior vai abranger todos 2.350 imóveis do bairro

O trabalho de campo começou pelo Lomanto Júnior, que conta com 2.350 imóveis. No último levantamento LIRAa, o bairro apresentou 18,62% de índice de criadouros do mosquito Aedes aegypti. São duas equipes atuando no bairro. Uma coletando amostras e fazendo tratamento dos imóveis e outra, transmitindo orientações aos moradores sobre a forma mais eficaz para ajudar no combate aos focos do mosquito.

As equipes da Coordenação de Endemias atuam para convencer os moradores a não lavar reservatório de água após a aplicação do larvicida. "Mesmo com todo o esforço dos últimos anos, o índice de infestação ainda é alto e preocupante em alguns bairros. Nossos levantamentos indicam que o maior índice de infestação de criadouros acontece, principalmente, no interior das residências. Por isso, temos reforçado o trabalho de campo", explica o coordenador de Combate às Endemias da Secretaria de Saúde, Renato Freitas.

MAIS COLABORAÇÃO

Renato observa que um dos fatores que mais contribuem para o alto índice de infestação de larvas do Aedes aegypti é a dificuldade de acesso dos agentes ao interior dos imóveis. Na manhã desta segunda-feira, por exemplo, quase 50% dos imóveis dos setores 34 e 35 no bairro Lomanto estavam fechados. Em outros imóveis os reservatórios foram construídos em locais de difícil acesso aos agentes de combate às endemias.

Além disso, ainda existem pessoas acreditando que reservatórios cobertos com telha de amianto não precisam de tratamento. Por isso é necessária muita conversa do agente comunitário para liberar acesso ao interior do imóvel e ao reservatório. "Precisamos de uma colaboração ainda maior da população para que possamos reduzir o índice de infestação. Um imóvel não tratado prejudica um quarteirão inteiro", destaca Renato Freitas.

Pelo cronograma da Coordenação de Combate às Endemias os próximos bairros contemplados com reforço nas ações de campo serão Novo Horizonte, Califórnia, Nova Califórnia, Carlos Silva, Santa Inês, Sinval Palmeira, Santa Catarina, Rubis IV, Jorge Amado e Ferradas II. Os índices de infestação nessas localidades variam entre 18,40% e 32,58%. O maior percentual foi verificado no Sinval Palmeira.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *