Itabuna é incluída no Programa de Correção de Fluxo Escolar

O Ministério da Educação (MEC) acaba de incluir o município de Itabuna no Programa de Correção de Fluxo Escolar na Alfabetização, desenvolvido em parceria com o Grupo de Estudos sobre Educação, Metodologia de Pesquisa e Ação (Geempa) nos diversos municípios brasileiros que apresentam distorções com relação às crianças que, mesmo “alfabetizadas”, não dominam a escrita e a leitura.

Com isto, uma das prioridades estabelecidas pela Secretaria da Educação (SEC) que é de tornar eficiente o processo de ensino-aprendizagem promovido nas escolas da Rede Pública Municipal de Ensino, especialmente no Ciclo da Infância, ganha um reforço significativo. De acordo com a secretária da Educação, Dinalva Melo do Nascimento, a iniciativa do MEC também se coaduna com o Pacto pela Alfabetização na Idade Certa, cujas ações começam a ser efetivadas a partir deste mês com a formação dos professores alfabetizadores.

A secretária revela que inicialmente a SEC irá realizar um diagnóstico para identificar em toda a Rede Municipal os alunos que se enquadram no perfil do público-alvo do programa, ou seja, que estão em defasagem com relação à escrita e a leitura, mesmo já tendo finalizado os anos iniciais do ensino fundamental e avançado para os ciclos da Pré-Adolescência e da Adolescência.

“Esses estudantes serão divididos em turmas de no mínimo 12 e no máximo 25 alunos e serão acompanhados por um professor em classes de aceleração em turno oposto ao de aula regular. A metodologia aplicada pelo Geempa prevê que num período de três a cinco meses tais alunos já dominem a escrita e compreendam o que escreve por meio da leitura”, explica a secretária.

Dinalva ressalta que para assegurar tais resultados, o MEC, por meio do Geempa, oferece formação inicial de cinco dias aos professores alfabetizadores e assessoria pedagógica de dois dias durante o período de alfabetização dos alunos, com a vinda de técnicos do Grupo de Estudos à Itabuna. O Programa de Correção de Fluxo Escolar garante ainda a entrega de todo material didático-pedagógico aos professores, além de módulos individuais para os estudantes e jogo didático para cada grupo de quatro alunos.

Em contrapartida, a Prefeitura de Itabuna deve assumir a responsabilidade pela contratação de professores alfabetizadores para o período de duração do programa, bem como o fornecimento de merenda para os alunos e disponibilização dos espaços para a realização das atividades. O Grupo de Estudos sobre Educação, Metodologia de Pesquisa e Ação surgiu há 42 anos por iniciativa de educadores do Rio Grande Sul e tem como presidente a professora doutora Esther Pillar Grossi.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *