Inep lança portal para explicar resultado da Prova Brasil

O ministro da Educação, Renato Janine, durante lançamento da Plataforma Devolutivas Pedagógicas das Avaliações Educacionais (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Portal permite saber exatamente o que ocorre em sala de aula, diz o ministro Renato JanineAntonio Cruz/ABr

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) lançou esta semana um portal na internet que “traduz” em liguagem pedagógica os resultados da Prova Brasil, principal exame para avaliar qualidade da educação básica do país.

A plataforma Devolutivas Pedagógicas disponibiliza os itens da prova, incluindo comentários e explicações sobre o que o aluno errou ou acertou. Ela explica os objetivos curriculares das questões da Prova Brasil e os conhecimentos e habilidades necessários para o aluno respondê-las corretamente.

 

“Antes, estávamos muito ligados à medida, ao número. Com essa plataforma, damos um passo importante para transformar o número em algo curricular, que possa ser utilizado em sala de aula. É o encontro entre a medida e a relevância pedagógica”, explicou o presidente do Inep, Francisco Soares.

Com a ferramenta, é possível selecionar a escola e visualizar em um gráfico a distribuição dos alunos nos níveis de eficiência de cada área ou etapa avaliada. Também é possível comparar a distribuição à de escolas similares, além de contextualizar fatores como os níveis socioeconômico e de formação dos docentes.

O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, destacou que o portal permite saber exatamente o que se passa em sala de aula. “Os professores e gestores podem ver o que está dando certo ou errado em sua escola. Checar com outras escolas, repartir experiências, avaliar práticas que mais dão certo”, acrescentou.

A Prova Brasil é aplicada aos alunos de 5º e 9º anos do ensino fundamental. A avaliação é um dos componentes do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), além de fornecer dados de aprovação escolar. Até hoje, o Inep divulgava os resultados do exame apenas em números, sem contextualização pedagógica.

“Estamos preocupados em que professor entenda quais conhecimentos e habilidades o aluno precisa dominar. O foco agora é o que significa o número no currículo”, concluiu o presidente do Inep.

Agência Brasil

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *