IBEDEC Alerta: Compra de Armários e Móveis Planejados – da Euforia ao Judiciário

O diretor presidente do Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo – IBEDEC – Dr. José Geraldo Tardin, alerta que pesquisar preço e qualidade é sempre o primeiro passo, mas não é o único cuidado a ser tomado na hora da compra de móveis planejados para sua casa ou apartamento.

Com o crescimento na venda de imóveis, além dos vícios que os consumidores já encontram no próprio imóvel, cresceu também em 30% as reclamações em 2013 sobre a péssima qualidade dos móveis planejados vendidos por muitas empresas.

É comum que empresas fabricantes de maior porte como Marel, Lucittá e tantas outras, firmem parcerias com pequenas lojas, representantes comerciais ou instaladoras locais. Estas empresas embora usando o nome do grande fabricante para atrair consumidores, normalmente não têm estrutura para atender corretamente o consumidor, firmam compromissos que não irão cumprir, fazem projetos com medidas incorretas, atrasam a instalação, geram insatisfação aos seus consumidores e muitas vezes acabam no Judiciário em ações morosas, dispendiosas e que só aumentam a frustração na relação de consumo.

Para evitar estas ações judiciais o IBEDEC então alerta para os diversos cuidados que o consumidor pode tomar para evitar estes problemas ou minorar a chance de prejuízos neste tipo de contrato:        

·         Faça uma pesquisa de preço e qualidade do produto, pedindo referência de outros consumidores da empresa a ser contratada;

·         leve em consideração o espaço disponível para definir a peça, peça orçamento detalhado nos mínimos itens, especificando tudo como tamanho, espessura, qualidades dos materiais, cor, textura, dobradiças, puxadores, marca dos trincos e fechaduras, ferragens, parafusos, enfim, tudo para que o móvel fique adequado;

·         consulte o PROCON para saber se não existe reclamação contra a empresa escolhida e se houver já corte ela da sua lista de fornecedores;

·         é aconselhável comprar em lojas indicado por amigos;

·         exija sempre o recibo dos pagamentos feitos e a nota fiscal do produto;

·         não aceite que conste somente O CÓDIGO DO PRODUTO, exija a identificação discriminada da peça com detalhamento de toda ela;

·         discrimine na nota fiscal a data de entrega, considerando esta como a entrega definitiva dos móveis montados;

·         não é aconselhável comprar a peça que está em exposição. Se essa peça for adquirida, solicite para que os eventuais defeitos sejam discriminados na nota fiscal de compra;

·         se a peça em exposição for usada como argumento de venda, tire fotos de todos os detalhes dela como espessura, textura, cor, acabamento, trincos, fechaduras e e dobradiças, pois isto pode ser um meio de prova para eventuais problemas;

·         fique atento a montagem do móvel. Se o produto for montado pelo próprio consumidor, este deve ser acompanhado do manual de instrução em português, como todos os detalhes técnicos e passos de montagem;

·         solicite o manual de garantia ou que seja discriminado na nota fiscal;

·         lembre-se de que a compra for no cartão de crédito não poderá haver diferença de valores cobrados em outras condições;

·         quando a entrega for em domicilio, informe-se se o frete é incluso;

·         tenha cautela no recebimento da peça, estando em desacordo com o que foi combinado, recuse o recebimento e anote no verso do documento o motivo da recusa. Guarde uma cópia .

·         quando a montagem do móvel é de responsabilidade da empresa vendedora, especifique no contrato quantos dias eles tem para fazer a entrega e também a montagem, bem como se possível já estipulando multa para o caso de descumprimento.

·         evite pagamento antecipado e vincule a última parcela à entrega dos móveis devidamente montados e na condição especificada no contrato.

·         exija o projeto final, com as medidas e especificações, antes da liberação de qualquer pagamento;

·         exija sempre um contrato escrito, com todo os detalhes da compra, prazo de entrega, prazo de montagem, forma de pagamento, garantia e tudo mais que for combinado e ofertado pelo vendedor, inclusive brindes.

·          se o pagamento for dividido em cheques, os cheques a vencer, coloque nominal à empresa e no verso especifique que se trata de compra parcelada e vinculada ao cumprimento do contrato de venda do móvel.

·         acompanhe o montador na entrega, tire fotos do lugar de montagem antes e depois do serviço de montagem ser executado. Os danos causados às paredes, bem como manchas no piso, em outros móveis, em vidros ou na própria parede durante a instalação, devem ser reparados por conta e risco da empresa montadora.

 Como agir em caso de problemas:

– Registre reclamação no SAC da empresa fabricante e também na vendedora, através de e. mail´s que servirão de prova em juízo;

– Não havendo solução em contato direto, registre reclamação no PROCON, que fará a intermediação para solução administrativa do problema e, caso não seja possível, poderá multar a empresa por descumprimento do contrato, propaganda enganosa ou outra conduta que fira o Código de Defesa do Consumidor.

– Prosseguindo o caso sem solução, não exite em recorrer ao Judiciário, onde tudo o que foi combinado terá que ser cumprido. Os danos ao imóvel, os produtos não entregues, os produtos entregues fora da especificação, a eventual desvalorização do imóvel pelos móveis incorretos, os danos morais, tudo pode ser exigido contra a empresa.

– Tanto o fabricante como o vendedor são responsáveis pela venda feita e pela indenização dos prejuízos ao consumidor.

– Vícios de fácil detecção tem 90 dias para serem reclamados, quando da finalização da entrega. Vícios ocultos tem 90 dias para serem reclamados, quando detectados. Qualquer reparo ou conserto tem prazo máximo de 30 dias para ser executado e caso não seja feito, o consumidor pode pedir abatimento do preço, desfazimento do contrato e/ou indenização em até 5 anos da compra.

– Guarde todo tipo de documento, fotos, e. mail, propagandas, contrato, amostra de madeira que for dada pelo vendedor, pois tudo isto vincula ao produto.

 

Maiores informações com José Geraldo Tardin pelo fone 61 3345-2492 e 9994-0518

IBEDEC

Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo

CLS Quadra 414, Bloco “C”, Loja 27 Asa Sul – Brasília/DF – Fone: 61 3345.2492

Site www.ibedec.org.br – E- mail: consumidor@ibedec.org.b

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *