Ibametro reforça campanha de alerta sobre riscos da criança ingerir baterias de lítio

14Bate-768x1024.jpg

O Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade (Ibametro), órgão delegado do Inmetro na Bahia, reforça a campanha de conscientização realizada esta semana pelo Inmetro e a ONG Criança Segura, alertando os pais, responsáveis, classe médica e institutos de ensino infantil sobre o perigo da ingestão acidental de pequenas baterias de lítio por crianças. A ação envolve diversos países como os Estados Unidos, onde cerca de 3.500 casos são encaminhados anualmente a centros de controle de envenenamento.

No Brasil, segundo o órgão, também já foram registrados alguns casos de ingestão das chamadas ‘baterias botão’, que podem ficar presas na garganta e causar queimaduras graves ou levar à morte. Na Austrália, por exemplo, onde recentemente uma criança morreu, vítima desse tipo de acidente, estima-se em aproximadamente quatro casos por semana com lesões são diagnosticados.

“Desenvolvemos diversas ações de divulgação para que o maior número de pessoas possível tenha conhecimento. Equipamentos finos e compactos, a exemplo de controles remotos de TV e ar-condicionado, chaves de carro, pequenas calculadoras, relógios, cartões e velas musicais, MP3 e lanternas, além de tênis e roupas com pisca-pisca, usados no dia a dia, têm compartimentos de bateria de fácil abertura. Muitos pais desconhecem o risco que isso representa para as crianças”, explica o assessor da Diretoria de Avaliação da Conformidade do Inmetro, Paulo Coscarelli.

Segundo ele, o instituto faz um alerta à classe médica em decorrência da dificuldade no diagnóstico em caso de acidente. “Os sintomas apresentados pela criança, como febre e dor de estômago, podem ser facilmente associados a resfriados, viroses ou alergias, e não ao fato de ela ter ingerido ou introduzido uma bateria na narina”.

Campanha global

Até esta sexta-feira (20), o instituto se integra à campanha global – Semana Internacional de Conscientização -, com foco na redução de lesões e mortes de crianças por ingestão da ‘bateria botão’, resultado de uma parceria com o Conselho Internacional de Segurança de Produtos de Consumo. Participam também a União Europeia, Estados Unidos, Canadá, Letônia, México, Peru, Colômbia, Japão, Coreia do Sul, Austrália e Nova Zelândia.

Dicas de segurança

– Deixe equipamentos com ‘baterias botão’ fora de alcance quando o compartimento da bateria não for seguro e trave as baterias frouxas.

– Se a criança engolir a ‘bateria botão’, imediatamente procure atendimento médico de emergência. Não a deixe comer ou beber nem estimule o vômito.

– Os sintomas podem ser similares aos de outras doenças, como tosse, ‘babação’ e desconforto. Como as crianças conseguem respirar normalmente, o diagnóstico pode ser difícil.

– Relate o caso no Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo, o que poderá fundamentar uma possível regulamentação do uso de baterias.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *