HOSPITAL REGIONAL DO CACAU TAMBÉM VAI DESAFOGAR O HOSPITAL DE BASE

O novo Hospital Regional da Costa do Cacau, que está sendo construído na rodovia BR-415, além de desafogar o Hospital Geral Luiz Viana Filho, em Ilhéus, vai contribuir para melhorar o atendimento no Hospital de Base de Itabuna, de acordo com o governador da Bahia, Rui Costa. "Esta é a intenção", enfatizou. "É uma obra para toda a região. É resultado de um governo que pensa pra frente, que não é míope, que pensa a região como um polo de desenvolvimento da Bahia e do Brasil e não de forma individualista", afirmou hoje pela manhã, ao assinar a ordem de serviço para a construção do hospital regional, no canteiro de obras, no trecho da rodovia entre Ilhéus e Itabuna.

Acompanhado de autoridades governador Rui Costa assina ordem de serviço do Hospital Regional do Cacau - Foto Maurício Maron
Acompanhado de autoridades governador Rui Costa assina ordem de serviço do Hospital Regional do Cacau

Acordo entre o Governa da Bahia e a construtora prevê duração de 24 meses, mas a promessa é de que a obra, no entanto, ganhe ritmo acelerado, e seja concluída antes do prazo. Na primeira etapa, o Hospital Costa do Cacau terá 154 leitos para internação, 36 salas de Observação de Urgência e Emergência, 30 leitos de UTI, sete centros cirúrgicos, dentre outras.

O investimento é de R$ 77,5 milhões. "Com a conclusão deste hospital, Ilhéus, Itabuna e municípios pactuados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) terão uma nova opção qualificada de atendimento de urgência e emergência, atualmente concentrados nos dois hospitais públicos mais importantes da região", avalia o prefeito de Itabuna, Claudevane Leite.

Construído na década de 70, o Hospital Regional de Ilhéus está ultrapassado e já não consegue atender a demanda. Resultado: parte dos pacientes vem parar no Hospital de Base Luiz Eduardo Magalhães, em Itabuna. Localizado em uma região estratégica da Bahia, o Hospital de Base atende a uma população estimada em um milhão de habitantes.

São 126 municípios pactuados que encaminham casos de urgência e emergência para Itabuna pelo SUS. Para se ter ideia da abrangência desta macrorregião, até doentes de Uauá, no sertão da Bahia, a 670 quilômetros de distância, são encaminhados para receber atendimento no Hospital de Base. As ambulâncias chegam a percorrer 10 horas de viagem em busca de socorro médico qualificado que a unidade presta.

Com 161 leitos em funcionamento, 85 médicos e 703 técnicos, o Hospital de Base é uma pequena cidade onde muitas pessoas precisam de tratamento e outras inúmeras, que as acompanham, de uma atenção especial. A complexidade e grandiosidade da sua estrutura podem ser observadas nos números que apresenta atualmente. A cada mês são 5.600 pacientes atendidos no Pronto Socorro da unidade hospitalar. E uma média de 400 cirurgias – das mais simples até as mais complexas, como neurocirurgias e ortopedia – realizadas todos os meses.

Não foi assim que o prefeito de Itabuna, Claudevane Leite, encontrou o hospital. A instituição estava debilitada e cheia de dívidas. Foi preciso um intensivo trabalho de reestruturação que já começa a ganhar o reconhecimento da população. Na medida em que o serviço não pode parar, há uma missão paralela a ser cumprida: restabelecer o funcionamento de todos os serviços e preparar o hospital para voltar a níveis de excelência nos próximos anos.

No canteiro de obras do Hospital Regional do Cacau, o governador Rui Costa voltou a defender a criação de consórcios intermunicipais de Saúde e disse que já está dialogando com prefeitos do interior em busca de consolidar esta alternativa. "Não podemos mais admitir que muitos pacientes de cidades de pequeno porte tenham que se deslocar até Salvador para atendimentos de média e alta complexidade", afirmou. A contrapartida prometida pelo governador é a construção de uma Policlínica com as mais diversas especialidades médicas nas regiões consorciadas.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *