Depois da TelexFREE, Priples também é barrada pela Justiça

Mais uma empresa acaba de se juntar à TelexFREE e BBom na lista de investigadas por supostos esquemas de pirâmide financeira. A Priples, de anúncios virtuais, está proibida de fazer pagamentos e cadastrar novos integrantes desde que uma denúncia feita pela polícia de Pernambuco foi feita e aceita à Justiça do Estado. No sábado, os sócios da empresa, o estudante de ciências da computação Henrique Maciel Carmo de Lima, de 26 anos, e a enfermeira Mirele Pacheco de Freitas, de 22 anos, foram presos. Na segunda, cerca de 70 milhões de reais em contas bancárias no nome da companhia foram bloqueados também a pedido da polícia. De acordo com a denúncia, a empresa teria 95% de suas verbas vindas das taxas de adesão de cerca de 200.000 associados espalhados pelo país. (VB)

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *