Convenção que proíbe armas químicas entra em vigor na Síria

manchetes-eua-marinha-siria.JPG

A Convenção para a Proibição de Armas Químicas entrou hoje (14) em vigor na Síria, onde se encontra uma missão de inspetores internacionais para acabar com o arsenal do regime do presidente Bashar Al Assad. A Síria tornou-se assim o 190º integrante da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq).

Um porta-voz da organização informou que a convenção entrou em vigor às 7h locais e que o dia de hoje marca a adesão formal da Síria à convenção, embora já tenha começado nas últimas semanas. A mesma fonte lembrou que foi o regime de Damasco que solicitou a adesão à Opaq, pedindo que fossem acelerados os trâmites para a efetivação.

A missão de especialistas chegou ao território sírio em 1º de outubro para verificar e destruir as armas químicas em poder do regime do de Bashar Al Assad. A equipe começou a destruir o arsenal e já visitou 20 locais de armazenamento.

A Convenção para a Destruição de Armas Químicas estabelece que os Estados-membros são responsáveis pela segurança dos investigadores da Opaq, bem como pelos custos da destruição do armamento.

O desmantelamento do arsenal químico da Síria decorre no âmbito do acordo firmado em setembro entre Moscou e Washington para evitar uma intervenção militar norte-americana no país.

A hipótese de uma intervenção norte-americana esteve em pauta após o ataque com armas químicas no dia 21 de agosto, em um bairro da periferia de Damasco, que causou mais de mil mortos.

Sexta-feira (11), o Comitê Nobel atribuiu à Opaq o prémio Nobel da Paz de 2013 pelos “grandes esforços para eliminar” os arsenais químicos e como incentivo à ação no conflito na Síria. Agência Brasil

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *