Cigarro e bebidas alcoólicas estão entre principais vilões da saúde vocal

Nesta terça-feira (16), Dia Nacional da Voz, o Ministério da Saúde consultou a fonoaudióloga Gigiane Gimbre, do Hospital Conceição, vinculado ao ministério, sobre como manter a voz saudável da infância até a vida adulta. Ela alerta que os principais vilões da saúde vocal são o cigarro e o excesso de bebida alcoólica, entre outros.

“O cigarro é altamente nocivo. Quando a fumaça é tragada, por conta do calor, agride todo sistema respiratório, principalmente as pregas vocais. O excesso de bebida alcoólica também é prejudicial, porque diminui a sensibilidade. Como não conseguimos controlar o esforço que utilizamos ao falar, podemos exagerar, causando um grande desgaste nas cordas vocais”, afirma. “Podendo causar irritação, edema, tosse, pigarro, aumento de secreções e infecções”, acrescenta.

Além disso, a fonoaudióloga recomenda exercícios de aquecimento e desaquecimento vocal orientado para ter uma voz mais saudável e evitar problemas futuros. “Cuidar da voz é uma questão de condicionamento físico. Ela precisa estar forte, para aguentar as variações do dia a dia. Falar sem esforço, articular bem as palavras, beber bastante água, fazer repouso vocal, evitar pigarrear, sussurrar ou gritar, manter boa postura corporal ao falar são algumas das principais recomendações”, orienta Gigiane Gimbre.

Alimentos também influenciam a voz

Pouca gente sabe que determinados alimentos exercem influência direta ou indireta sobre a produção da fala, informa a especialista, citando como exemplos água, maçã, mel, bebidas quentes, limão e soro.

“Dê preferência a alimentos como a maçã, por dois motivos: sua consistência mais dura exige mais da mastigação, massageando assim os articuladores; além de possuir propriedade adstringente, o que ajuda a reduzir saliva espessa da boca e faringe. As frutas cítricas como o abacaxi, limão e laranja aumentam a salivação e com isso um maior número de deglutições, que acarretam um relaxamento na musculatura da garganta. Já os chás de frutas e as bebidas isotônicas também podem ser considerados preferenciais, pois ajudam na reposição de perdas minerais”, explica.

Já o café em excesso diminui a hidratação das pregas vocais. “O café faz com que a pessoa produza maior secreção no cordão vocal e comece a pigarrar. Normalmente está associado ao consumo de cigarro”.

Práticas que ajudam ou prejudicam

Segundo Gigiane, o bocejo ajuda no relaxamento das pregas vocais. “Esse relaxamento facilita a voz e ajuda a diminuir as tensões. Existe uma série de exercícios para relaxamento. Procure sempre um profissional”.

Por outro lado, o grito prejudica a saúde vocal.  “Não grite, não sussurre, não fale em excesso. Usar a voz em tom mais alto ou mais baixo que o habitual necessita um esforço maior, que pode provocar a formação de nódulos. Por isso, fale normalmente”, alerta Gigiane Gimbre .

O ato de pigarrear também gera um alto impacto das pregas vocais. “O pigarrar pode ocasionar futuras lesões. É importante saber a causa deste pigarro. O excesso de muco na laringe pode ser decorrente do fumo, alergias respiratórias e desidratação. A produção demasiada desse muco é a defesa do organismo diante desses quadros irritativos. Não pigarre e beba bastante água. Nos quadros mais agudos, consulte um especialista”, aconselha a fonoaudióloga.

Fonte: Portal Planalto

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *