Casos de dengue caem 47% comparado com 2012

O Departamento de Vigilância à Saúde de Itabuna registrou, entre janeiro e a primeira semana de abril, queda de 47,4% no número de casos notificados de dengue no município, em relação ao mesmo período de 2012, quando houve 1.403 ocorrências. Já neste ano foram notificados 738 casos da doença.

Embora tenha registrado uma redução significativa na quantidade de notificações, a Secretaria de Saúde do município mantém-se em alerta e está intensificando o trabalho de campo. Isso vem sendo feito porque, entre novembro de 2012 e janeiro deste ano, houve aumento no índice de infestação de criadouros do mosquito Aedes aegypti, que é transmissor da doença.

O coordenador de Combate às Endemias da Secretaria de Saúde de Itabuna, entomologista Renato Freitas, destaca que o município está reforçando o trabalho de campo, com a regularização das visitas domiciliares, principalmente nos bairros que apresentam índices mais altos de infestação predial. Renato Freitas explica que outra prioridade é a conclusão do trabalho do 1º ciclo e que está trazendo de volta para o setor todos agentes que estavam em desvio de função.

Importância da participação da sociedade

A diretora do Departamento de Vigilância à Saúde, Larissa Pimentel, convoca a população a participar ativamente do controle à dengue, como forma de evitar a ocorrência de casos graves e morte. Ela também chama a atenção das clínicas particulares e laboratórios para a importância de notificar os casos suspeitos da doença, “pois só assim teremos dados reais da situação dos casos em nosso município”, explica.

A enfermeira Sanitarista Ângela Barros diz que as ações adotadas pelo município são importantes para reduzir o índice de infestação de larvas, que é de 27,1%. A enfermeira lembra que a população tem um papel importante quando contribui mantendo os reservatórios tampados e sem lavar após a aplicação da larvicida.

NOTA TÉCNICA

Comparando-se o mesmo período de 2012 e 2013, nota-se que houve uma redução de 47,4% no número de casos de Dengue, porém o que nos tira de uma possível zona de conforto é o aumento da população de mosquitos Aedes aegypti em 47,3% (LIRAa realizado em janeiro/2013 = 27,1%) quando comparado ao LIRAa anterior (Novembro/2012 = 18,4%) e encontrarmo-nos muito aquém do Índice recomendado pelo PNCD/MS (inferior a 1%).

Enfim a prevenção deve ser estimulada por todos os setores da sociedade, e as parcerias são fundamentais para o controle da dengue no município.

ASCOM

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *