CAETITÉ: BAMIN TENTA DESTRUIR MATA CILIAR

Funcionarios-da-Bamin-prontos-para-o-desmatamento.jpg

Segundo informações da Comissão Pastoral da terra (CPT-BA), a desavença ocorreu em Caetité. A Bahia Mineração (Bamin) estava iniciando seus experimentos para explorar minério de ferro na área conhecida como Gerais. Segundo moradores da região, a multinacional quer transformar o leito do Riacho Pedra de Ferro numa barragem de rejeitos do processo de extração mineral. Para isso, a empresa pretendia abrir caminho, desmatando uma quantidade significativa da vegetação ciliar, que protege várias nascentes ribeirinhas.

No último dia 17 de setembro, a Bamin levou cerca de 30 funcionários equipados com motosserras para iniciar o trabalho. A ideia era limpar a área para o avanço das máquinas. No entanto, habitantes das comunidades que são abastecidas pela água das nascentes daquela região foram até o local e impediram o desmatamento. Uma denúncia foi registrada contra a empresa no Ministério Público e encaminhada para o Núcleo de Defesa do São Francisco.

De acordo com o relatório de impactos ambientais apresentado pela Bamin e endossado pelo INEMA (que concedeu a licença para o desmatamento), apenas 3 famílias eram abastecidas com água daquelas nascentes. Essa informação foi contestada por um levantamento feito pela CPT (Comissão Pastoral da Terra) e pelas Associações de João Barroca e Baixa Preta. Segundo os dados desses agentes sociais, 16 localidades e mais de 230 famílias são beneficiadas pelas águas que nascem ali, além de outras comunidades que recebem água do mesmo local, na época de estiagem, por meio de carros pipas.

Os habitantes ressaltaram que a região já é assolada pela seca e não pode ter seus recursos hídricos ameaçados pela cobiça do capital estrangeiro. Blog do Gusmão

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *