Balé TCA leva espetáculo para Itabuna como parte das comemorações do centenário de Adonias Filho

download

O Balé Teatro Castro Alves (BTCA) fará nesta semana duas apresentações especiais na cidade de Itabuna, no Sul da Bahia, como parte das comemorações do Centenário de Nascimento de Adonias Filho (1915-1990), promovidas pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult). O espetáculo “…Ou Isso” é a montagem que será levada ao público grapiúna, na sexta-feira, 27 de novembro – data de nascimento do escritor baiano -, às 19h30, no Centro de Cultura Adonias Filho, na Praça José de Almeida Alcântara. O ingresso será trocado por um quilo de alimento não perecível, que será destinado para o Abrigo São Francisco e o Albergue Bezerra de Menezes, em Itabuna. No dia anterior, na quinta (26), às 20h30, o espetáculo será apresentado somente para convidados.  
“…Ou Isso” foi concebido especialmente para o BTCA, em 2012, pelo premiado dançarino e coreógrafo mineiro Jomar Mesquita (diretor artístico da Mimulus Cia. de Dança), e Rodrigo de Castro, com direção artística de Jorge Vermelho. O espetáculo é inspirado na obra do escritor mato-grossense "esticador de horizontes" Manoel de Barros (1916-2014), um dos principais poetas contemporâneos brasileiros. Nesse trabalho, o BTCA sugere outras possibilidades de enxergar o mundo, de ver as coisas, transpondo sentidos, com um olhar ingênuo, lúdico, quase infantil, mas, ao mesmo tempo, astuto e sincero. Para falar dessa “reinvenção”, os bailarinos recorrem à tradição da dança de salão.

O BTCA tem como atual diretor artístico Antrifo Sanches, e é mantido pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult) através da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) e do Teatro Castro Alves.
Adonias Filho
Nascido em 1915, na cidade de Itajuípe, Adonias Aguiar Filho foi jornalista, crítico literário, ensaísta e romancista. Foi eleito vice-presidente da Associação Brasileira de Imprensa, membro do Conselho Federal de Cultura, presidente da Associação Brasileira de Imprensa e presidente do Conselho Federal de Cultura. Suas obras apresentavam fortes características da região cacaueira, das quais se pode destacar Corpo Vivo, Luanda Beira Bahia, O Largo da Palma e As Velhas. Suas obras foram traduzidas para o inglês, o alemão, o espanhol, o francês e o eslovaco. Foi eleito para a cadeira nº 21 da Academia Brasileira de Letras. Em 2 de agosto de 1990, faleceu na sua fazenda Aliança, em Inema (sul da Bahia). Por sua vez, o Centro de Cultura Adonias Filho, gerido pelo Governo do Estado da Bahia, foi inaugurado em 1986, em Itabuna, que está inserida no Território de Identidade Litoral Sul, composto por 26 cidades. O Centro passou por obras de manutenção e recuperação que incluíram a reativação das salas de ensaio, sala principal, foyer e área externa.

Fonte: Ascom/Teatro Castro Alves (TCA)

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *